Reflexões do Leopardo

Reflexões do Leopardo
Reflexões do Leopardo

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Minas e Armadilhas das Autárquicas

O título desta reflexão foi-me sugerido por uma expressão que uma familiar minha usa quando se refere ao que devemos evitar nos restaurantes : os doces e os licores. Elevam sempre substancialmente a conta !
O mesmo ocorre, guardadas as distâncias entre as comparações, no campo da política e nas mesas dos restaurantes. 

Nesta categoria de "doces e licores" entram as "candidaturas independentes" , nestas eleições autárquicas muito em voga, embora não apresentem novidade nenhuma, só as moscas é que mudam... As candidaturas e os candidatos ditos independentes mais não são que o populismo irresponsável à solta, numa mistura explosiva com uma caixa de Pandora, para aldrabar os incautos e os ingénuos.
Para ilustrar o que escrevo talvez seja suficiente fazer uma excursão rápida no currículo oficial do major Valentim Valentão , de seu nome no cartório Valentim dos Santos de Loureiro, nado a 24.Dez.1938 ( portanto, hoje, com 78 Outonos ), em Calde - Distrito de Viseu - na carreira do cujo qual se mesclam numa promiscuidade indestrinçável os fios do militar, do empresário, do político, do dirigente desportivo.
Ingressou na Academia Militar , com um prévio Curso Geral do Comércio feito em Viseu ( e, veremos, o comércio sempre será o eixo da sua controversa vida ) , Academia onde terminou o Curso Superior de Administração Militar, em 1959.
Fez duas Comissões de serviço em Angola, a partir das quais começa a sua longa folha de incriminações em processos por fraude. Em 1965 foi implicado no "Caso das Batatas" ( de onde deriva o seu cognome de Major Batateiro ) , acusado de furtar sacos de batatas ao Exército, para, posteriormente os vender de novo à tropa. Em consequência deste "Caso", nunca inteiramente deslindado, foi afastado da vida militar entre 1967 e 1980, sendo reintegrado em 1980 na situação de Reserva com a patente de Major.
A sua carreira  de "proezas" comerciais e "públicas virtudes" apenas se iniciava. Entre 1982 e 1999 foi Cônsul da Guiné-Bissau ... no Porto. Entre 1978 e 1997 foi Presidente da Direcção do Boavista Futebol Clube , onde hoje é Sócio de Mérito, após ter legado o cargo da presidência ao seu filho, João Loureiro (advogado, dirigente desportivo, antigo vocalista de uma banda de pop-rock) .
O major Valentim Valentão , apesar de militante do psd desde 1974, apoiou Mário Soares nas suas candidaturas a PR (1986 e 1991) e foi agraciado por ele ( Comendador da Ordem de Mérito ) e por Escavaco Silva ( Medalha de Mérito Desportivo ). De onde o major Valentim Valentão tem dado provas de uma notável habilidade para singrar em águas turvas como demonstrou de novo depois do seu envolvimento no processo judicial "Apito Dourado" , no qual foi condenado a 4 anos de pena suspensa.
Nos entretantos, com o psd a retirar-lhe o seu apoio e a renovar-lhe o mandato, Valentim Valentão , em 2005, aparece com a "lista independente" "Gondomar no Coração" e, em 2017, candidato a Presidente da Câmara de Gondomar sob a bandeira "Valentim Loureiro Coração de Ouro" ( vá lá não ser "Coração de Leão", mas deve ter tido medo do sr. BrunodeCarvalho...).

As candidaturas "independentes" podiam ainda ser exemplificadas com os casos espantosos do sr. Carlos Cruz , "o Senhor Televisão" , preso, considerado culpado de pedofilia, ou do sr. Isaltino de Morais, preso, considerado culpado de negócios fraudulentos de monta. Porém, o exemplo arquétipo de Valentim Valentão bastará para... enojar. E contudo, e contudo, o mais espantástico  deste lamaçal imenso, é que todos estes figurantes, que nem seres humanos verdadeiros chegam a ser, é que eles e a sua podridão continuam a ter admiradores, esperançados saberá a Santa da Ladeira em quê.

A questão das candidaturas "independentes" pode ainda ser analisada de um outro ângulo. Admitimos que existem pessoas sinceramente convictas que todos os Partidos se equivalem e são igualmente corruptos - embora, esteja muito longe de ser o meu caso que, julgo, o ideário e a actividade do PCP e da CDU  ( antes APU ) não podem de modo nenhum ser igualadas à dos outros Partidos - admitamos que essas pessoas imaginem que só uma nova força política, saída do nada, possa representar um futuro digno e justo.
Admitamos ainda que essas forças autárquicas ganhem aqui ou ali. A pergunta que lhes colocamos é : e, depois de vencerem, como é que vão gerir as autarquias ? Não se imagina outro meio senão negociando com as forças políticas existentes, as tais que "os independentes" consideram corruptos e oportunistas ...

Mais ainda para acrescentar ao caldo autárquico e ao abrir de via às ideias "independentistas" : o papel desempenhado pelos "mirdías" . Os "mírdias", dia a dia, veiculam sub-liminarmente a ideia cara ao Grande Capital de que toda a actividade política é suja e que só personalidades emergentes do exterior - da "vida civil", o que quer que isso signifique... - lhe poderão trazer alguma dignidade.
Não fica mal aqui lembrar que os antigos gregos - "os ellenos" - se consideravam superiores aos outros Povos - "os bárbaros" - justamente porque debatiam democraticamente os seus diferendos na praça pública - a "Ágora" - e não os resolviam através da Guerra, única alternativa à negociação verbal. Já agora não fará igualmente mal recordar que baseavam a sua superioridade no uso de uma língua superior, construída de acordo com a Razão e não num "Açordês" qualquer.

Na atmosfera "merdiática" na qual se vão desenrolar as próximas eleições autárquicas é impossível deixar de referir o papel híper-valorizado atribuído às sondagens da  Universidade Católica . As sondagens da Universidade Católica , eleição atrás de eleição, têm sistematicamente falhado as suas previsões, desculpando-se depois com as elevadas e imprevisíveis taxas de abstenção. Falhanços católicos que ferem particularmente os resultados da CDU.

A missa eleitoral autárquica ainda não foi toda rezada. Os canais televisivos são ainda peritos em varrer dos seus écran's a presença da CDU ou o que é dito verbalmente ser contraditado pelos gráficos mostrados.

E, agora sim, a missa "dicta est". A confiança repouse convosco !


Resultado de imagem para fotos ou imagens do major Valentim Loureiro

Resultado de imagem para fotos ou imagens de Isaltino de Morais Resultado de imagem para fotos ou imagens da Universidade Católica Resultado de imagem para fotos ou imagens de carlos cruz

Saudações fraternas e atentas do

Leopardo
          

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Reposições de filmes na TV : entre o péssimo e o óptimo

Lénine foi dos primeiros revolucionários a compreender perfeitamente o papel que o cinema podia assumir na divulgação das ideias conducentes ao Socialismo e ao Comunismo e o Comissário do Povo para as Artes na URSS Bolchevique nascente também compreendeu essa função - opondo-se com firmeza ao radicalismo retórico de intelectuais que pretendiam banir  da nova cultura do proletariado autores cimeiros como Shakespeare ou Cervantes, asseverando que representavam facetas da cultura burguesa - , defendendo que a Cultura Proletária emergente, não se impunha por decreto, mas em diálogo, argumentando com o que de melhor o passado lhe legava.

Isto vem a propósito das reposições de filmes que a TV tem vindo a fazer nos seus canais. Um deles, o AXN/Black exibiu ontem, pelas 24 horas, uma comédia de Woody Allen, a qual o genial realizador e actor dedicava a um músico, guitarrista, egocêntrico, ensombrado por outro guitarrista, Jungle Reinhardt, lenda do Jazz.
O jovem guitarrista ensombrado, que se julga igualmente um génio, - basta-lhe pensar no Reinhardt para desmaiar ao comparar-se com o seu ídolo - é superiormente interpretado por um Sean Penn no início da sua carreira. O jovem guitarrista ensombrado, que vai tocando com a sua banda em clubes de jazz mais frequentados por negros que por brancos, é um esbanjador de dólares à altura da sua vaidade, e troca de mulheres com a mesma facilidade com que troca de camisa - uma delas, imagina-se escritora e tenta psicanalizar-se a si e aos seus amantes de ocasião, representada por Umma Thurman, dá réplica à altura do Sean Penn. Uma outra das suas mulheres, sua criada para todos os serviços, que é muda, que comunica com o jovem guitarrista por escrito - guitarrista que existiu realmente, que deixou obra gravada, a qual se situa ao nível da do Reinhardt - sustenta uma interpretação notável. 

Já escrevi várias vezes que Woody Allen é um cineasta genial, cuja maior dificuldade seria realizar mal um filme ou interpretá-lo de forma assim assim. Não sei, pois, como transmitir-lhes a cena hilariante em que Umma, numa enorme "limusine" norte-americana se prepara para trair Penn com um gangster, enquanto Penn, afundado no banco traseiro do carro, armado com um revolver, tenta decidir qual deve matar ou se deve matar os dois. As várias considerações que W.Allen tece na sequência desta cena são igualmente hilariantes.
À estória contada por Allen acresce ainda o "picante" de ser baseada num caso real, com personagens que existiram verdadeiramente.

Se isto é assim no patamar do óptimo, na sub-sub-cave do péssimo é inacreditável o que desfilou perante as íris dos meus olhos estarrecidos. Talvez igualmente no mesmo canal, mais tarde, um cineasta qualquer, da categoria dos filmes B ou sub-sub B, atreveu-se a narrar o contrário do que aconteceu na Guerra do Vietname
É do conhecimento geral que após a II guerra mundial a única guerra que os EUA perderam indiscutivelmente foi a Guerra do Vietname ( entre 1 Nov. 1955 e 30 Abril,1975 ), a qual foi orientada por líderes lendários - Ho Chi Minh , no plano político,  e o general Vö Nguyên Giáp, no plano militar. 
Mesmo a Guerra dos EUA contra a Coreia - travada entre 1950 e 1953 - , que conseguiu separar a Coreia do Norte da Coreia do Sul, continua a ser discutível a quem coube a primazia no plano militar ( e ainda hoje, no meio da estrondosa campanha "merdiática"  imperialista - com a Administração Trampas a ameaçar todos os dias que terá de destruir a anti-democrática Coreia do Norte -  é, no mínimo, estranho que os estudantes universitários da Coreia do Sul incitem os seus colegas a fugir para a Coreia do Norte, onde é propalado que se vive tão mal... ).

Ora, o tal filmezeco da categoria sub-sub-sub B apenas mostra em imagens horripilantes como, de facto, os heróicos vietnamitas ... perderam a guerra !
É sabido que a derrota do imperialismo ianque nas terras vietnamitas está atravessada nas gargantas das sucessivas Administrações cowboy's como uma espinha de peixe-agulha e esta peliculazinha é bem a prova provada disso.
Um oficial vietnamita, senhor da guerra num determinado rincão do território, é-nos pintado como um monstro de perfídia, crueldade, a recorrer a torturas medievais, para ganhar a guerra e exterminar fisicamente os "cámones". 
E é vencido por quem ? Por um herói quase solitário, desarmado, preso, acorrentado, perito em artes marciais - parte o pescoço ou estrangula os diabólicos apaniguados do oficial vietnamita apenas com as mãos e os braços - que vai extraindo as granadas, metralhadoras pesadas, lança-chamas, explosivos aos estúpidos dos combatentes vietnamitas, - tão estúpidos, cegos e surdos que nem de encomenda se arranjaria melhor - para vencer o maldito oficial vietnamita numa luta corpo a corpo, de artes marciais.
Para tentar dar por palavras uma imagem da violência exibida talvez chegue teclar que em dado momento, enfiam na cabeça do herói "amaricano" - que está amarrado, suspenso no ar, de cabeça para baixo -  um saco com uma ratazana esfomeada, enfurecida ( com efeito, uma tortura medieval ! ) . O saco começa a encher-se de sangue e, quando o abrem, a ratazana está morta, degolada pelos dentes do herói !...
O "actor" escolhido para herói ianque, é uma pessoa que praticou artes marciais e que desempenha toda a tarefa com a única cara que a Natureza lhe deu : uma face branca, com uns olhos azuis esverdeados, que vagueia por todo o filme com um ar atónito ( calculo que estaria a pensar porque milagre o escolheram durante umas temporadas para desempenhar tais tarefas ) , nunca se dando à canseira de experimentar uma expressão de ira, desgosto, afecto . Tanta estultícia ou nos escangalha a rir ou nos move para a piedade. 


Resultado de imagem para fotos ou imagens de Woody Allen Resultado de imagem para Fotos ou imagens do filme "Através da Noite"Resultado de imagem para fotos ou imagens de Ho Chi Minh        Resultado de imagem para fotos ou imagens do general Vö Nguyên Giáp



And that's all folkes for today

do confiante Leopardo